Impressão 3D no Ensino de Ciências

Uma novidade que tem aparecido na sala de aula de ciências é a impressora 3D que compreende uma técnica de construir sólidos tridimensionais, camada por camada, umas sobre as outras, até formar o objeto. Com este recurso, uma série de possibilidades se apresenta para professores a alunos. Como podemos construir conhecimento científico com tal recurso? Como o ensino de ciências irá se beneficiar com essa tecnologia? Essas perguntas ainda precisam ser respondidas a partir de pesquisas e projetos de intervenção.

impre3d

Fonte: http://aevp.net/mostra-de-projetos-ciencia-na-escola/

Inicialmente, a impressora 3 D pode contribuir fortemente nas aulas experimentais, na construção de modelos didáticos e na fabricação de formas tridimensionais complexas. Professores e alunos podem acrescentar esse novo aliado na sala de aula, promovendo metodologias ativas e inovadoras na medida em que posiciona, na construção do conhecimento, o protagonismo do aluno e a aprendizagem baseada em problemas, por exemplo.

A impressora 3D possibilita uma maior familiaridade com o compartilhamento de conhecimentos. É possível produzir um instrumento didático e em seguida compartilhar, via repositórios virtuais, para todo o mundo. Ainda, produzir objetos de forma colaborativa com estudantes de outras instituições, assim como de outros países. Podemos criar, por exemplo, modelos didáticos em três dimensões de uma célula animal e vegetal e em seguida trabalhar comparações entre os alunos. O processo de produção na tela do computador, impressão e debate após o produto finalizado promovem verdadeiras trilhas de aprendizagens.

Sugiro a leitura da dissertação de Leonardo De Conti Dias Aguiar que investiga a produção de modelos didáticos através de impressoras 3D.

Informações:

Matéria Revista Época

Matéria Revista Exame

Experiência no Reino Unido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *